ENCOB 2017 abre espaço para programas internacionais de gestão dos recursos hídricos

Tamanho da letra:

Evento, que ocorre anualmente, conta com apresentação dos resultados do Programa WaterClima LAC, financiado pela Comissão Europeia, do qual faz parte a Ação Eco Cuencas com quatro projetos-piloto, um deles nas Bacias PCJ (rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí); Comitês PCJ participam do ENCOB com comitiva de 30 pessoas

Desde terça (07/11/2017) até sexta-feira (10/11/2017) acontece, em Aracaju, o XIX ENCOB 2017 - Encontro Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas. Durante o evento, estão sendo apresentados os detalhes, resultados e previsões relacionadas ao Programa WaterClima LAC, do qual fazem parte a Ação Eco Cuencas, Projeto Água sem Fronteiras e Gestão de Zonas Costeiras. Uma oficina específica sobre a Ação Eco Cuencas, na qual um dos quatro projetos-piloto foi desenvolvido nas Bacias PCJ, começou a ser ministrada na terça e será concluída nesta quarta-feira (08/11/2017). Mais de 800 pessoas participam do ENCOB 2017. Os Comitês PCJ estão com uma comitiva formada por 30 pessoas.

“Estou bastante otimista com o futuro das Bacias PCJ. Os resultados da Ação têm sido fundamentais para planejar os próximos 30 anos. A parceria com o Office (Escritório Internacional da Água), a FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo) e os demais sócios na Ação Eco Cuencas foi muito importante para alcançarmos esses resultados. Desejo sucesso a todos tanto na vida profissional quanto na vida pessoal”, destacou Sergio Razera, diretor-presidente da Agência das Bacias PCJ.

No primeiro dia da oficina, as apresentações foram realizadas por Lupércio Ziroldo Antônio, presidente da REBOB (Rede Brasil de Organismos de Bacias), Cristina Carvalho, representante da Comissão Europeia, entidade que financiou o programa, Alain Bernard, diretor da Ação Eco Cuencas e chefe do Polo de Gestão Integrada de Recursos do Escritório Internacional da Água (OiAgua), e Nicolas Bourlon, coordenador da Ação Eco Cuencas. Esta iniciativa abrangeu as Bacias PCJ (Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), no Brasil; Bacia do Rio Chira-Catamayo (Equador e Peru); e Bacia do reservatório Rio Grande II, na Colômbia.

Destacando os resultados obtidos com o Programa WaterClima LAC, Cristina reforçou a necessidade de esses projetos terem continuidade, principalmente, em um cenário em que as mudanças climáticas estão em curso, e associadas a fenômenos ambientais extremo que impactam sobre o uso da água, como secas e enchentes. Ao todo, cerca de 7 milhões de euros foram investidos por parte da Comissão Europeia em projetos desenvolvidos no Brasil, Peru, Colômbia, Equador e Caribe. 

Já Alain Bernard compartilhou sua visão sobre a importância do planejamento e gestão dos recursos hídricos. Compartilhou ainda a expectativa positiva gerada pela troca de informações e experiências entre União Europeia e América Latina na gestão da água, mesmo se tratando de realidades distintas. 

"O tema água é tão vital e fundamental para o desenvolvimento econômico, social, ambiental e também sustentável entre os países, que a Comissão Europeia quer que a água possa ser uma forma de apoio ao desenvolvimento de outras nações e continentes", disse Alain, referindo-se especificamente à Ação Eco Cuencas.

Já para Nicolas Bourlon, a Ação Eco Cuencas apresenta resultados positivos acima do esperado. "O projeto teve muito mais visibilidade e gerou muito mais expectativas do que poderia cumprir no seu prazo curto. Mas, hoje, o desafio nosso é continuar na ideia de apoiar as bacias-piloto para que a lógica possa se desenvolver e, também, atender a expectativa de outras bacias através do repasse de experiência”, ressaltou Bourlon.

PROGRAMAÇÃO

O ENCOB 2017 traz como tema central “Os Comitês de Bacia no fortalecimento do Sistema Nacional de Recursos Hídricos” e.conta, ainda, com cursos e oficinas que se estendem ao longo dos quatro dias de evento, bem como mesas de diálogo, rodas de conversa e apresentações sobre temas de extrema relevância para a gestão, uso e preservação dos recursos hídricos, como saneamento básico, regulamentações, papel social da água, capacitação, mudanças climáticas, entre outros. Também ocorre a Assembleia Geral do Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas (FNCBH), marcada para o dia 9, quinta-feira. Mais informações no site oficial do evento: www.encob.org.br.

Com um destaque especial dentro da programação, a Ação Eco Cuencas conta com a oficina de dois dias de duração. Na tarde de terça-feira (07/11/2017), foram destacados os resultados e importância de uma gestão adequada dos recursos hídricos para antecipar problemas, minimizar efeitos negativos de fenômenos naturais e assegurar o acesso à água frente às mudanças climáticas do planeta. Pela Agência das Bacias PCJ, o palestrante foi o coordenador de Sistema de Informações, Eduardo Cuoco Léo.

Além de Sergio Razera, os outros dois diretores da Agência das Bacias PCJ, Patrícia Barufaldi (Técnica) e Ivens de Oliveira (Administrativo-financeiro) também estão no ENCOB 2017, assim como o presidente do Conselho Deliberativo da Agência das Bacias PCJ, Paulo Tinel, o secretário executivo dos Comitês PCJ, Vinicius Rosa Rodrigues, e o adjunto, Sebastião Bosquilia; o vice-presidente do CBH-PJ, José Maria do Couto, entre vários outros membros e coordenadores de Câmaras Técnicas.

REVISTA AÇÃO ECO CUENCAS

A experiência acumulada pela Ação Eco Cuencas foi compilada em uma revista, que sintetiza e descreve tópicos importantes do projeto e que foi distribuída no ENCOB 2017 em versões em português e espanhol.

As duas versões podem ser acessadas na íntegra em nosso site pelos links abaixo:

PORTUGUÊS: http://www.agenciapcj.org.br/docs/ecocuencas/revista-acao-ecocuencas-2017-port.pdf

ESPANHOL: http://www.agenciapcj.org.br/docs/ecocuencas/revista-acao-ecocuencas-2017-esp.pdf