Agência das Bacias PCJ modernizará sistema de cadastro e cobrança pelo uso da água

Tamanho da letra:

Contrato com a Fundação Ezute foi assinado nesta quarta-feira (01/08/2018), em Piracicaba, na sede da Agência

A Agência das Bacias PCJ anunciou a modernização de seu sistema de cadastro e cobrança pelo uso dos recursos hídricos. A Fundação Ezute, cujo contrato tem duração de oito meses, será a encarregada de implantar as otimizações no sistema. A oficialização da parceria aconteceu nesta quarta-feira, 1º, através de assinatura de contrato na sede da Agência das Bacias PCJ, em Piracicaba. Estiveram presentes os diretores da Agência e colaboradores, o diretor de Relações de Mercado da Ezute, Geraldo José Azevedo, e o diretor Jurídico e de Governança, Roberto Lorenzoni Neto.

Ivens de Oliveira, diretor administrativo e financeiro da Agência das Bacias PCJ, explicou a necessidade dessa medida, que prevê o desenvolvimento, implantação e manutenção do sistema de gerenciamento de cadastro de usuários e cálculo de cobrança pelo uso dos recursos hídricos.

“O atual sistema funciona desde 2007, quando foi iniciada a Cobrança Estadual Paulista. É um sistema mais antigo, que tem algumas limitações de funcionalidades. Com esse contrato, pretendemos, principalmente, automatizar o processo de cálculo da cobrança, que ainda tem algumas características manuais; e dar agilidade e maior rapidez nos trabalhos”, destacou Oliveira.

Ele também esclareceu que o novo sistema também terá uma grande vantagem: poderá ser acessado de qualquer lugar com login e senha, pois o desenvolvimento é via web. Também haverá uma área de interação com o usuário, através do qual o usuário poderá verificar o histórico da cobrança e toda a metodologia de cálculo que compõe o valor a ser cobrado.

Segundo Ivens, outra inovação é a criação de uma interface para integração com o sistema de outorga eletrônica do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo) e com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) para os dados de quantidade e qualidade da água. “Essa é mais uma questão que envolve a profissionalização da nossa gestão. A Agência das Bacias PCJ tem buscado se modernizar e aperfeiçoar seus fluxos de trabalho e o novo sistema da cobrança vem neste mesmo sentido”, concluiu Oliveira.

No total, estão cadastrados mais de 3 mil usuários, desde autarquias de saneamento e indústrias até produtores rurais. O diretor-presidente da Agência das Bacias PCJ, Sergio Razera, ressaltou que o aprimoramento do sistema de cobrança reverterá em mais recursos para investimentos em várias áreas, como combate às perdas de água no abastecimento, tratamento de esgoto, proteção de mananciais, entre outras.

“Com esse novo sistema, teremos uma segurança e uma confiabilidade ainda maior nas informações. Isso poderá gerar maiores receitas para a Agência, que depois disponibiliza maiores investimentos para projetos”, destacou Razera.

EZUTE

A Fundação Ezute possui 21 anos e é uma organização privada sem fins lucrativos, com sede em São Paulo (SP) e filiais em Brasília (DF) e Rio de Janeiro (RJ), que oferece soluções inovadoras em tecnologia e gestão, para os desafios e problemas enfrentados pelas instituições brasileiras, especialmente as públicas.

O diretor de Relações de Mercado da Ezute, Geraldo José de Azevedo, ressaltou que a fundação contribui para a transformação dessas organizações, apoiando a evolução da produtividade e da efetividade.

“Esse contrato, para nós, é desafiador. Ao mesmo tempo muito estimulante, pois a Fundação Ezute já vem atuando há um bom tempo nessa área de recursos hídricos. No DAEE, implantamos o sistema de outorga eletrônico e, agora, estamos envolvidos na evolução do sistema para fazer a fiscalização da outorga e ainda mais outros subsistemas, como o Sistema de Suporte à Decisão. Ou seja, com esse contrato com a Agência das Bacias PCJ estamos evoluindo bastante no conhecimento. Entendemos que vai ser um aprendizado muito interessante com a Equipe PCJ e, com isso, estamos incorporando mais conhecimento no nosso portifólio e, principalmente, compartilhando a nossa experiência junto a vocês no sentido do ganha/ganha: aprender bastante com vocês e compartilhar um pouco essa história nossa no segmento de gestão dos recursos hídricos”, concluiu Azevedo.