Em busca da excelência no saneamento, Bacias PCJ terão o 1º Centro de Capacitação na área

Tamanho da letra:

Iniciativa, que também ajudará na meta de 100% de universalização dos serviços, será concretizada com a parceria entre Agência das Bacias PCJ, Consórcio PCJ e ARES-PCJ, firmada nesta sexta-feira (28.09.2018), em Nova Odessa

Um acordo de cooperação assinado nesta sexta-feira, dia 28 de setembro, entre a Agência das Bacias PCJ, Consórcio PCJ e Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento (ARES-PCJ), garantirá a implantação do 1º Centro de Capacitação na área de Saneamento nas Bacias PCJ (Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí). A cerimônia de assinatura foi realizada em uma sala do Teatro Municipal de Nova Odessa.

O objetivo principal dessa iniciativa é aprimorar os serviços prestados pelas concessionárias de abastecimento, além de perseguir a meta de atingir a universalização dos serviços (100% de coleta e tratamento de esgoto e água) a todos os 5,5 milhões de habitantes da região. As capacitações devem ser iniciadas até dezembro deste ano, com a aplicação de três cursos-pilotos em três regiões das Bacias PCJ: na parte alta (região de Atibaia), média (região de Campinas) e baixa (região de Piracicaba).

Na avaliação do diretor-presidente da Agência das Bacias PCJ, Sergio Razera, este é um momento histórico e muito importante não só para a região, como também em nível nacional. “O momento é histórico, pois é a primeira parceria oficial entre as entidades. Essa parceria é importante para unificar e para dar uma condução para essas capacitações que serão realizadas. Queremos que sejam de uma forma muito proativa e prática e não cursos só teóricos para que possamos melhorar cada vez mais a atuação dos serviços de saneamento público e privado aqui nas Bacias PCJ e em todo o Brasil. Futuramente, esses cursos serão oferecidos para todos os serviços de saneamento do país”, comentou.

O secretário-executivo dos Comitês PCJ, Luiz Roberto Moretti, também prestigiou a assinatura do acordo e reforçou o significado da iniciativa. “A parceria firmada hoje é extremamente significativa e valiosa para as Bacias PCJ, pois trará além da união dessas três entidades, oportunidades para todos os municípios e empresas em serem capacitadas e treinadas nas questões relacionadas ao ‘melhor fazer’ na área de saneamento, na área de gestão dos recursos hídricos. É algo que há muito tempo os Comitês PCJ almejavam. Já tinham isso em seu planejamento, mas ainda não havia sido viabilizada a forma mais correta de se fazer. Com essa parceria fecha-se um arcabouço institucional extremamente importante e de grande valia para toda a nossa região. Com certeza, teremos ganhos muito expressivos para a melhoria da qualidade de vida da nossa população”, definiu.

Para o secretário-executivo do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz, a parceria também pode ser classificada como “um divisor de águas” para o setor de saneamento na região. “Esse acordo é um divisor de águas. A parceria sempre existiu, só que não tínhamos legalidade, oficialização, e ficava difícil até um órgão contratar o outro ou legalmente estar parceiro do outro. Agora, com as mudanças estatutárias que fizemos hoje e com a assinatura desse acordo, tudo irá acontecer com qualidade e legalidade. É um marco histórico, um novo PCJ: eu diria que mais profissionalizado e tecnologicamente avançado”, ressaltou.

O diretor geral da ARES-PCJ, Dalto Favero Brochi, explicou também a necessidade e demanda crescente de investimento em capacitação no setor de saneamento. “Existe uma demanda para melhoria da capacitação desse pessoal. Vamos buscar uma padronização, melhoria na qualificação desses trabalhadores afim de que a eficiência da prestação do serviço aumente. A ideia é de, com essa eficiência, a qualidade vai aumentar e a população e meio ambiente serão beneficiados. É nessa linha que estamos pensando num futuro próximo”, resumiu.

ÍNDICES

As Bacias PCJ já possuem índices invejáveis frente à realidade brasileira no que tange ao saneamento. Enquanto o Brasil trata apenas 45% do esgoto coletado, as Bacias PCJ já atingiram 75%, sendo que alguns municípios já possuem capacidade de tratamento em 100%. A região também é referência no acesso à água tratada, com atendimento de 99,9% das residências. A meta é chegar a 2035 com todos os rios das três bacias reenquadrados em classe 3, portanto, com suas águas aptas para o consumo humano após tratamento.

Lahóz explicou que as Bacias PCJ atingiram 75% de média em tratamento de esgoto, mas começaram a permanecer nesse número. “Então nós, PCJ, refletimos, qual seria o motivo? E o motivo é justamente que nós precisamos atender os pequenos municípios. A distribuição dos recursos dos Comitês PCJ para 2019 e 2020 está nesta linha. A Agência das Bacias PCJ estará dando assistência técnicas aos pequenos municípios. E essa parceria entra para ‘o depois’ que as estações estiverem construídas, ‘o depois’ que as redes financiadas para o combate às perdas estiverem instaladas: quem vai operar isso e com qual qualidade. É uma somatória de ações que, casadas, vão fazer com que esses 75% do tratamento de esgoto se amplie e assim também nas perdas e outros setores”, argumentou.

Razera também afirmou que a medida ajudará na meta de 100% de universalização do saneamento, justamente porque trará maior qualidade aos serviços prestados. “Ajuda porque, mais capacitados, os operadores dos serviços de saneamento vão operar melhor as estações de tratamento de água e de esgoto e isso vai melhorar a qualidade e quantidade de água que fica no rio”, concluiu.

PRIORIDADES

Em reunião prévia, dia 12 de setembro, com os principais diretores das concessionárias das Bacias PCJ, ficou definido que a prioridade do Centro de Capacitação será para as áreas de instalação e manutenção de redes de esgoto e de água, monitoramento e diagnóstico da qualidade da água e manutenção e operação de sistemas, metrologia e atendimento ao cliente - temas de capacitação que demandam mais interesse no momento. Os cursos terão carga horária mínima de 40 horas.

Neste primeiro momento, os cursos serão aplicados em locais cedidos por parceiros, como universidades, prédios públicos e em salas dentro dos próprios serviços de água. O auditório do Consórcio PCJ, atualmente em reforma, também poderá funcionar como um dos polos de aplicação dos cursos.

A assinatura do acordo também contou com a presença do presidente do Consórcio PCJ e prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza, e do presidente da ARES-PCJ e prefeito de Vinhedo, Jaime Cruz, além dos prefeitos Mário Botion (Limeira), Carlos Alberto Lisi (Saltinho) e Antonio Carlos Defavari (Rio das Pedras).