Agência das Bacias PCJ e Comitês PCJ investem em estudo de alternativas de abastecimento na Bacia do Rio Corumbataí

Tamanho da letra:

Contrato foi assinado na manhã desta segunda-feira (29/10/2018) no Gabinete do Prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, atual presidente dos Comitês PCJ; investimento prevê de cerca de R$ 480 mil, provenientes da cobrança pelo uso da água

Na manhã de hoje, 29, os Comitês PCJ e a Agência das Bacias PCJ assinaram oficialmente o contrato com a Engecorps, empresa que será responsável pela realização de estudo com foco em antever e, especialmente, combater crises hídricas na Bacia do Rio Corumbataí, que abrange um total de nove municípios – Piracicaba, Rio Claro, Santa Gertrudes, Corumbataí, Cordeirópolis, Analândia, Ipeúna, Itirapina e Charqueada. A assinatura foi no gabinete do Prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, que também é o atual presidente dos Comitês PCJ.

A região da Bacia do Rio Corumbataí possui forte presença industrial e da atividade agrícola, tarefas que demandam grande consumo de água. Sua população é estimada em cerca de 710 mil habitantes, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para este ano.

Atualmente, a disponibilidade hídrica dessa região é de 4,97 m³/s e a demanda é de 2,92 m³/s. Dessa maneira, uma crise hídrica, que ocasionaria escassez nesse abastecimento, mostrar-se-ia extremamente prejudicial para a região, afetando diretamente sua economia e o abastecimento público, impactando no bem-estar e saúde da população urbana e rural.

Dessa forma, assumindo uma postura proativa e antevendo-se ao problema, tanto os Comitês PCJ, como a Agência das Bacias PCJ planejam investir cerca de R$ 480 mil em um projeto de prevenção à crise hídrica e levantamento de formas alternativas para se garantir o abastecimento de água. Os recursos são provenientes da Cobrança PCJ Federal (cobrança pelo uso da água em rios de domínio da União nas Bacias PCJ).

O trabalho realizado pela empresa Engecorps, vencedora da licitação, deverá ser concluído em 12 meses. “Os Comitês PCJ se preocupam com a segurança hídrica de suas microrregiões e, neste caso, o município de Piracicaba é o maior interessado, porque o Rio Corumbataí é a nossa grande fonte de abastecimento. Cerca de 90% da água do município vem do Corumbataí. Estamos acompanhando de forma permanente esse trabalho, pois temos certeza absoluta da qualidade dele. O estudo vai nos dar algumas diretrizes para que nós possamos planejar os próximos anos”, destacou Barjas Negri.

O secretário-executivo dos Comitês PCJ, Luiz Roberto Moretti, também ressaltou a importância do estudo para toda a região. “Tem um ditado que aprendemos desde pequeno que diz que ‘prevenir é melhor do que remediar’. E é esse trabalho que está sendo contratado. É um trabalho extremamente importante para que a gente possa não ser pego de surpresa, para que nos antecipemos e busquemos os recursos necessários para garantirmos o futuro de nossa população. O estudo vai avaliar as alternativas, fazer prospecções futuras de aumento de população, aumento de demanda e compatibilizar esse aumento de demanda com a disponibilidade hídrica futura, inclusive, devido a problemas que possamos vir a ter”, explicou Moretti.

Uma das alternativas que serão analisadas no estudo é a retirada de água do Aquífero Guarani, medida que já é adotada por Itirapina, conforme comentou o prefeito daquela cidade, José Maria Candido.

“Nosso sistema de abastecimento de água potável é através de poço tubular com 200 metros de profundidade e pode captar de 100 a 140 m³/hora. É uma região muito rica em água. Tanto é que uma das questões técnicas avaliadas pela Honda para instalar nova fábrica lá foi em relação a isso”, disse Candido. “Itirapina tem esse potencial muito grande. E muita gente está de olho na nossa água, que vai ser nosso ouro do futuro. Só na parte de Itirapina que pertence às Bacias PCJ, um estudo em 2013 constatou 700 minas de água. Provavelmente, no futuro, Itirapina poderá contribuir com outras cidades da região, como Piracicaba, podendo utilizar água do aquífero Guarani, com perfuração de poços e transporte por tubulação ou mesmo criar reservatórios com grande potência para regular esse abastecimento. Esse estudo proposto pela Agência das Bacias PCJ vem de encontro a esse planejamento para o futuro, porque a água não tem em abundância. Tem lugar que tem mais, lugar que tem menos e lugar que pouco tem. Itirapina vai colaborar com esse estudo”, completou o prefeito.

Diagnóstico

Durante a cerimônia de assinatura do contrato, a coordenadora de Projetos da Agência das Bacias PCJ, Elaine Franco de Campos, realizou uma apresentação sobre o estudo e esclareceu que a primeira atividade a ser desenvolvida será a elaboração de um diagnóstico da Bacia do Corumbataí, para identificar todos os aspectos que interferem no uso dos recursos hídricos. Por meio da análise desse diagnóstico, serão estipulados cenários de crescimento do consumo de água com base em modelos de incremento populacional e industrial adotados no Plano das Bacias PCJ 2010 a 2020.

Para cada município pertencente à bacia serão estipuladas vazões de consumo para irrigação, industrial, consumo humano e animal em um horizonte de 20 anos. O produto final do estudo servirá de base aos nove municípios para planejamento de ações estruturais e não estruturais visando o pleno atendimento do abastecimento de água potável para os diferentes consumidores como indústrias, residências, agricultura e consumo animal. Entre as ações futuras, estão novos barramentos, reuso e captações subterrâneas.

Além de Barjas Negri e José Maria Candido, também participaram da cerimônia os prefeitos José Antonio de Campos, de Ipeúna, e Jairo Mascia, de Analândia. A Agência das Bacias PCJ foi representada pelos diretores Sergio Razera (diretor-presidente) e Patrícia Barufaldi (diretora-técnica).

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA: Assessoria de Comunicação da Agência das Bacias PCJ

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. Telefone: (19) 3437-2102