Agência das Bacias PCJ recebe primeiro Selo de Monitoramento A3P emitido pelo Ministério do Meio Ambiente

Tamanho da letra:

Reconhecimento do MMA ocorreu após análise das ações sustentáveis implantadas na entidade

As boas práticas de gestão baseadas em conceitos de sustentabilidade, implantadas na Agência das Bacias PCJ, foram reconhecidas pelo Ministério do Meio Ambiente que concedeu, a entidade, o Selo de Monitoramento A3P. A congratulação referente ao ano de 2019 atesta o empenho da instituição no cumprimento com a finalização do preenchimento do Sistema de Monitoramento da A3P e com a entrega do Relatório de Monitoramento Anual de Implementação da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) – esta ocorreu no último dia 31 de março.

Por meio do RESSOA (sistema virtual de monitoramento de gestão socioambiental) foram analisados o consumo de água, papel, copos descartáveis e gastos com transporte aéreo e terrestre da Agência das Bacias PCJ ao longo de 12 meses, e as ações desenvolvidas visando a sustentabilidade. Entre os resultados obtidos, destaque para implantação do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) que definiu os procedimentos necessários para o manejo e destinação ambientalmente adequados dos resíduos gerados na instituição.

No período, o consumo de copos descartáveis plásticos, utilizados para consumo de água e café, diminuiu 86%. Também foi constatado a redução de 40% na quantidade de folhas de papel sulfite adquiridas.

A adesão voluntária da Agência das Bacias PCJ à A3P, ocorreu em 2018. A iniciativa nasceu com o objetivo de estimular a reflexão sobre a responsabilidade social a partir de práticas classificadas em cinco eixos temáticos: Gestão adequada dos resíduos gerados; Licitação Sustentável Compras públicas e sustentáveis; Qualidade de vida no ambiente de trabalho; Sensibilização e Capacitação dos Colaboradores Servidores; Uso racional dos recursos naturais e bens públicos; e Construções Sustentáveis.


A3P

Criado há duas décadas, o programa A3P tem como objetivo promover e incentivar as instituições públicas no país a adotarem e implantarem ações na área de responsabilidade socioambiental em suas atividades internas e externas. A adesão é voluntária e demanda engajamento pessoal e coletivo.

As instituições e seus funcionários são incentivados a adotar ações sustentáveis no ambiente de trabalho, desde pequenas mudanças de hábito, até atitudes que geram economia, com base em cinco eixos temáticos: uso racional dos recursos naturais e bens públicos, gestão adequada dos resíduos gerados, qualidade de vida no ambiente de trabalho, sensibilização e capacitação e licitações sustentáveis.

Mais informações https://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/a3p.