Gestão dos recursos hídricos tem tecnologia como aliada durante pandemia

Tamanho da letra:

Tema foi debatido durante webinar que contou com a presença do secretário-executivo dos Comitês PCJ, Luiz Roberto Moretti

Diante de pandemias como a que enfrentamos atualmente, sobressai a necessidade e importância do acesso à água. E como manter mobilizados e ativos, em tempos de Covid-19, as ações dos colegiados participativos (Comitês de Bacias) que têm poder decisório sob a gestão dos recursos hídricos?

O tema foi debatido na manhã desta quinta-feira, 21 de maio, durante o webinar promovido pelo Observatório de Governança das Águas (OGA). A iniciativa, que contou com a participação do secretário-executivo dos Comitês PCJ (rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí), Luiz Roberto Moretti, também abordou a importância do desenvolvimento tecnológico ao longo destes 60 dias de isolamento, assim como a necessidade da “alfabetização” frente à necessidade de uso destas novas tecnologias.

Isto porque, grande parte das reuniões, discussões e decisões tem sido feitas online. “As ações e trabalhos relacionadas a gestão de recursos hídricos não param. Entre as atividades desenvolvidas pela Agência das Bacias PCJ e Comitês PCJ, destaque para o Sistema de Informação das Redes Telemétricas, que atualmente contam com 50 pontos, Previsões Hidrometeorológicas e Sistema de Suporte de Decisões, que nos direciona quando o assunto é descarga do Sistema Cantareira”, explica Moretti, que acrescenta: “Além disso, continuamos com o acompanhamento de projetos, serviços ambientais e do Plano de Bacias, assim como a comunicação mantém suas atividades”, afirma Moretti.

Intitulado “Colegiados participativos: como nos manter mobilizados e ativos em tempo de Covid-19”, o webinar também contou com a participação de Volney Zanardi Júnior, coordenador de Instâncias Colegiados do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos da Agência Nacional de Águas (ANA), José Arimathéia Oliveira, coordenador do Fórum Fluminense de Comitês de Bacias, e Hideraldo Buch, coordenador do Fórum Nacional de Comitês de Bacias.

Atualmente, os Comitês PCJ estão debatendo uma deliberação para regulamentar as reuniões online de suas Câmaras Técnicas e Grupos de Trabalhos. “Mas é importante ressaltar que as reuniões remotas não substituem encontros presenciais. Muitas decisões demandam a presença dos membros”, afirmou Moretti.

Opinião também defendida por Hideraldo Buch. “A votação dos membros da diretoria dos Comitês, por exemplo, não pode ser realizada de forma remota”, assegurou.

A iniciativa teve a participação de mais de 100 pessoas, durou cerca de duas horas e apresentou boas práticas que estão se consolidando, busca-se sobretudo estimular comitês e conselhos a manterem-se ativos, utilizando-se de ferramentas tecnológicas, que permitam sua mobilização e atuação durante o período de distanciamento social por conta da pandemia.